Connect with us

Notícias

A história de superação de Bruno Rodrigues Portari – De vendedor de sorvetes à empresário de sucesso

Published

on

Conheça a história de superação de Bruno Rodrigues Portari, um garçom que também vendia sorvetes, e se tornou um grande empresário de sucesso!

O empresário, formado em logística e empreendedor no ramo de e-commerce, que desde criança já tinha o empreendedorismo na veia, ao vender sorvetes na rua na qual sempre voltava para casa com o carrinho vazio.

Por 10 anos viajou pelo Brasil como gerente de vendas, e consequentemente teve a oportunidade de conhecer várias empresas, aumentando cada dia mais a sua experiência no ramo, e foi onde entendeu a necessidade que os cliente sentiam e com base nestas informações e seu network, resolveu abrir a sua própria empresa de e-commerce e distribuidora, e atualmente possui índices de faturamento impressionantes.

Acompanhe a entrevista com Bruno Portari e descubra mais detalhes de sua trajetória profissional.

Advertisement

Bruno Rodrigues Portari – Fotos: Acervo Pessoal / @pcbeccbnews – Divulgação

Quem é Bruno Portari e de onde veio?
Bruno Portari é um cara batalhador, humilde, criado no sítio até meus 10 anos, depois disso passei parte de minha infância na cidade de Cardoso.

Com quantos anos começou a trabalhar profissionalmente e qual profissão?
Profissionalmente mesmo, aos 14 anos, né, tirando os chamados bicos de antigamente, já trabalhei em auto elétrica, em restaurante como garçom, já vendi sorvete na rua, mas de carteira assinada, aos 14 anos, quando me mudei para Valentim Gentil, antigamente, era registrado como jovem aprendiz né, mas desde jovem já fazia serviço que para idade era mais complexo, eu era Almoxarife em uma fábrica na cidade.

Depois de vendedor de sorvete, trabalhou com o que?
Já trabalhei, em auto elétrica, em restaurante como garçom, já vendi produtos marketing multinível, entre tantas outras coisas.

Quando teve a ideia de se tornar empreendedor?
Então, eu tive uma oportunidade, de viajar pelo Brasil todo, como Gerente de Vendas, por quase 10 anos, e nesse caminho conheci várias empresas, negócios, e fui vendo e observando a necessidade de mercado, por anos fiquei estudando e após criar um bom network e após minha filha também nascer, decidi a colocar em prática, pois viajava muito, e não iria vê-la crescer.

Foi difícil se tornar autônomo?
Muito, mais muito mesmo, por que até mesmo, tinha acabado de ter minha bebê né, então na época era meio que um chute no escuro né, sair do assalariado fixo, para colocar em prática um sonho que não sabia se iria dar certo.

Qual capital foi seu primeiro investimento em seu primeiro negócio?
Na verdade um amigo me ajudou com 30 mil reais na época, ele me emprestou, e dai em diante o negócio começou a andar, e com três meses o devolvi e daí em diante comecei a me virar com o capital que comecei a ter.

Advertisement

Que conselho daria para os jovens?
Que nunca desista de seus sonhos né, que apesar das dificuldades, mantenham firme , forte, estudem, pois o estudo é tudo, e tenham paciência que Deus irá no tempo certo abençoar seus objetivos.

Valeu a pena?
Sim…muito! Foi desgastante, mas valeu muito a pena.

Bruno Rodrigues Portari - Fotos: Acervo Pessoal / @pcbeccbnews - Divulgação

Bruno Rodrigues Portari – Fotos: Acervo Pessoal / @pcbeccbnews – Divulgação

Faria tudo novamente ou mudaria algo?
Não mudaria nada, tive vários prejuízos, no começo, e erros, e é errando que se aprende, portanto os erros também me ajudaram a evoluir ainda mais, tanto como pessoa, como profissionalmente.

Como é se tornar um empresário de sucesso, tendo começado bem de baixo?
Então, eu na verdade praticamente, não mudei minha rotina né, nos que viemos de família humilde, mantemos sempre aquele ciclo né, mais é gratificante as vezes você poder parar e ver o quanto sofrido foi lá antigamente, e hoje você poder saber que pode da um futuro um pouco melhor para família, um estudo e tudo, é extremamente gratificante.

A pandemia o atrapalhou ou teve um salto em seus negócios?
Na verdade, neste período tivemos uma alta bem grande, Marcos, pois como já vimos do e-commerce, e o ramo teve uma alta, já estávamos preparados, para a demanda.

Conte-nos suas estratégias na pandemia?
Nós sempre focamos em atendimento, apesar do e-commerce, todos os clientes gostam de ser bem atendidos, então sempre tentamos oferecer ainda mais, uma segurança, uma simpatia, um pós venda legal, bacana, para que o cliente, sempre retorne ao nosso estabelecimento!

Advertisement

O Bruno é casado e possui filhos?
Sou casado com a Angela Portari, e papai da Lorena, além de padrasto da Jhenyfer.

Deixe uma mensagem para os leitores que estão querendo começar algo e ainda não tomaram uma atitude.
A mensagem que deixo é para que todos tentem, pois eu também tomei vários tombos, e mesmo assim me mantive firme. Confie em Deus e tenha paciência, foco e trabalhe muito!! ACORDE CEDO E DURMA TARDE, pois tudo que é feito com amor, carinho e foco, uma hora vai dar certo!

Conheça mais sobre Bruno Portari através do Instagram @bportari

Crédito das Fotos: Acervo Pessoal / @pcbeccbnews – Divulgação

Bruno Rodrigues Portari - Fotos: Acervo Pessoal / @pcbeccbnews - Divulgação

Bruno Rodrigues Portari – Fotos: Acervo Pessoal / @pcbeccbnews – Divulgação

Advertisement

Notícias

BBL: cirurgia para aumentar bumbum pode ser perigosa e levar à morte; Entenda os riscos e prevenção

Published

on

Descontrole na realização do procedimento acende luz vermelha e mobiliza conselhos médicos americanos

Uma das cirurgias plásticas que está cada vez mais em alta nos Estados Unidos é a “Brazilian Butt Lift”, que consiste em utilizar a gordura do próprio corpo através de uma lipoaspiração, onde a mesma é introduzida nos glúteos, dando volume e forma. Apesar de ser indicado como um dos mais seguros, está havendo um certo descontrole na realização do procedimento, devido à atuação de médicos sem especialização, o que acaba resultando em mortes.

Na última semana, membros de diferentes conselhos médicos estaduais americanos se reuniram em Miami, cidade que ficou conhecida como destino nacional da “Cirurgia do Bumbum Brasileiro”, para discutir uma série de restrições da cirurgia, que como qualquer outra, mesmo que minimamente invasiva, requer cuidados ao realizá-la. Mas apesar dos problemas que envolvem o descontrole na realização do procedimento, a lipoenxertia é hoje a melhor indicação se tratando de aumento glúteo, segundo especialistas da área.

Tal afirmação se deve ao fato de não existem produtos sintéticos no mercado nacional que, quando ministrados em grandes quantidades, sejam seguros. “A gordura, por ser do próprio corpo da paciente, tem um risco mínimo de rejeição, e se feito em ambiente hospitalar e com todos os cuidados que são obrigatórios, tem também o risco mínimo de infecção”, explica o cirurgião plástico Dr. Esmail Safaddine.

Advertisement

Mesmo apresentando baixos riscos, Safaddine destaca a TVP (Trombose Venosa Profunda) e a Embolia Pulmonar, que são as principais complicações que podem ocorrer após uma enxertia glútea. O risco gira em torno de 1/2%. “De alguns anos pra cá, esse risco vem diminuindo porque mudamos a forma de aplicar. Hoje, a indicação é colocar a gordura acima do músculo, onde temos vasos menos calibrosos e, portanto, risco menor de complicação”, esclarece o especialista.

Dentre os cuidados que precisam ser tomados, Dr. Esmail orienta que a prevenção é sempre o melhor tratamento. “O uso de meia elástica, bota pneumática, uso de anticoagulantes e deambulação precoce (o ato de caminhar após o procedimento) amenizam consideravelmente o risco de complicações. Também vale levar em consideração saber o histórico prévio do paciente, pois existem pessoas com risco maior, como obesos, fumantes e pacientes em uso de anticoncepcional oral”, aponta o médico.

Em resumo, o especialista garante que a cirurgia de lipoescultura é segura e é a melhor indicação quando se fala na estética de remodelação dos glúteos. Safaddine ainda ressalta a importância da prevenção. “Acho que hoje o avanço da medicina preventiva, a divulgação em massa para a vida saudável com esporte e alimentação regrada e, lógico, o avanço da tecnologia estética estão fazendo com que as pessoas vivam mais e com qualidade melhor. Dentro disso, a forma física, a beleza e qualidade da pele também. Isso faz com que mulheres e homens com idades entre 40 e 50 anos aparentem ser muito mais jovens e com disposição equivalente. Isso é a nova era, é a evolução da medicina. Temos que aproveitar e muito isso tudo, mas sempre com bom senso”, finaliza o especialista.

Advertisement
Continue Reading

Geral

Cirurgião plástico explica a técnica ‘brazilian butt lift’

Published

on

Uma das cirurgias plásticas que está cada vez mais em alta nos Estados Unidos é o “brazilian butt lift”, que consiste em utilizar a gordura do próprio corpo através de uma lipoaspiração, onde a mesma é introduzida nos glúteos, dando volume e forma. Apesar do procedimento ser indicado como um dos mais seguros, está havendo um certo descontrole, onde o procedimento está sendo realizado por médicos sem especialização, resultando em mortes.

Na última semana, membros de diferentes conselhos médicos estaduais americanos se reuniram em Miami para discutir uma série de restrições da cirurgia. O médico cirurgião plástico brasileiro, Dr. Esmail Safaddine falou da cirurgia e dos cuidados ao realizá-la.

De acordo com o especialista, a lipoenxertia é hoje a melhor indicação se tratando de aumento glúteo, visto que, não existem produtos sintéticos no mercado nacional que em grandes quantidades sejam seguros.

“A gordura por ser do próprio corpo da paciente tem um risco mínimo de rejeição, e se feito em ambiente hospitalar e com todos os cuidados que são obrigatórios tem também risco mínimo de infecção”, explicou o médico.

Advertisement

Mesmo apresentando baixos riscos, o Safaddine destaca a TVP (trombose venosa profunda) e a Embolia Pulmonar, que são complicações que podem ocorrer após uma enxertia glútea e o risco gira em torno de 1/2%.

“De alguns anos pra cá, esse risco vem diminuindo porque mudamos a forma de aplicar, hoje a indicação é colocar a gordura acima do músculo, onde temos vasos menos calibrosos, e portanto risco menor de complicação”, disse.

Dentre os cuidados que precisam ser tomados, o Dr. Esmail orienta que a prevenção é sempre o melhor tratamento. Onde o uso de meia elástica, bota pneumática, uso de anticoagulantes e deambulação precoce ameniza consideravelmente o risco de complicações. Vale também levar em consideração saber o histórico prévio do paciente, pois existem pacientes com risco maior, como obesos, fumantes e pacientes em uso de anticoncepcional oral.

“Resumindo, a cirurgia de lipoescultura é segura, é a melhor indicação ainda quando falamos na estética de remodelação glútea e a prevenção é sempre o melhor remédio,” orientou.

Advertisement
Continue Reading

Geral

Brasil hoje tem quase um milhão de criativos empregados

Published

on

Denilson Shikako, CEO da Fábrica de Criatividade, explica que os profissionais criativos estão em alta porque possuem visão macro (SUBTITULO)

Uma nova edição do Mapeamento da Indústria Criativa realizada pela Firjan apontou que o número de profissionais criativos cresceu 11,7% em relação à última edição lançada em 2019.

A pesquisa analisou o setor entre 2017 e 2020 e revelou que hoje, o Brasil conta com 935 mil profissionais criativos formalmente empregados, o que equivale a 70% da mão de obra que atua na indústria metal mecânica brasileira.

O mapeamento foi separado em quatro áreas criativas: tecnologia, consumo, mídia e cultura e, de acordo com o estudo, as duas primeiras áreas representam mais de 85% dos vínculos empregatícios dos profissionais, com aumentos de 20,0% e 12,8%, respectivamente. Já Cultura e Mídia, que representam os 15% restantes, registraram uma queda de 7,2% e 10,7%.

Advertisement

Para o especialista em criatividade, Denilson Shikako, CEO da Fábrica de criatividade, os números representam que a inovação traz lucro, traz Roi e traz resultado. “Estão contratando mais as pessoas criativas. No Fordismo, a gente foi treinado para entregar resultado baseado em operação, baseado em produção. E agora as empresas e as indústrias estão percebendo que esse número aumenta muito mais quando você traz gente do mercado criativo. Penso que esses são os motivos desses dois números estarem aumentando. Em relação aos números que estão diminuindo, referente aos profissionais de cultura e mídia, penso que são dois motivos. O primeiro deles foi a pandemia que diminuiu os cargos formais e tiveram menos atividades culturais acontecendo e a segunda é que as pessoas estão “terceirizando” mais as atividades nesses setores. Com certeza se tivesse uma pesquisa baseada no mercado informal, esse número teria crescido porque as empresas dessas áreas estão contratando freelancers, terceiros ou as próprias empresas estão desenvolvendo capacitações internas nestas temáticas com pessoas “multifunções” o que diminui o número de vagas “formais” afirma Shikako.

Nesta edição, o Mapeamento da Indústria Criativa também realizou as quatro análises com as temáticas Soft Power e desenvolvimento com base na cultura e identidade dos territórios; Desafios à valoração de intangíveis nas Indústrias Criativas; Aspectos da Proteção à Propriedade Intelectual e Problematizando a definição de Economia Criativa, para entender a Indústria Criativa no Brasil e seus impactos sobre cidades e estados.

De acordo com o mapeamento, São Paulo e Rio de Janeiro seguem sendo os estados mais representativos no mercado de trabalho criativo, com 50,9% dos empregos registrados em 2020. Até 2020, havia cerca de 380,3 mil vínculos em SP e, no RJ, 95,7 mil.

O especialista revela ainda que as ocupações são fruto de modificações estruturais nas relações de trabalho, não somente dentro dos setores criativos, como também da economia como um todo. “Antigamente as pessoas eram contratadas por período, por tempo. A mudança nas relações estruturais, penso que na pós pandemia, que é a base dessa pesquisa, se refere às pessoas que estão sendo contratadas para fazer o tempo delas. O mercado como um todo tem trabalhado por projetos. Se eu vou demorar 1h, 10h se vou fazer a entrega com uma pessoa que sabe só sabe fazer a operação e não sabe fazer a gestão, o problema é meu. Entendo que a economia criativa vai trazer muito mais a visão do processo como um todo e não aquele trabalho específico de apertar parafuso, apertar um botão ou até mesmo o que o robô consegue fazer. Hoje em dia o mercado criativo traz a demanda de entregar por entregas e não pelo tempo. O tempo que vai fazer muda a relação estrutural de trabalho”, detalha.

Ainda de acordo com a pesquisa da Firjan, as profissões criativas que estão em alta no Brasil são as seguintes: Analista de Negócios, Analista de Pesquisa de Mercado

Advertisement

Programadores/Desenvolvedores, Biomédico,Visual Merchandising,Gerentes de Tecnologia da Informação,Designer Gráfico, Pesquisadores em geral,Gerente de Marketing e Engenheiros da área P&D.

“Se você olhar todas essas atividades, sempre envolve algo que eu sempre brinco: o que um robô não consegue fazer? O robô consegue fazer uma análise, ele consegue olhar os dados, mas só que fazer essa análise básica cruzando esses dados e trazendo impressões que não estão nos números, é uma coisa que a inovação e a criatividade trazem. As 13 profissões que envolvem um pensamento de inovação, o pensamento macro, a visão do todo é sempre melhor do que a visão da soma das partes. O profissional criativo possui a visão de várias áreas, possui repertório criativo”, conclui.

Continue Reading

Mais Lidas

Copyright © TimeOFFame - Todos os direitos reservados