Connect with us

Famosos

Grafiteira Nathê Ferreira, lança obra que retrata mulheres negras nordestinas

Published

on

A obra “meu sangue é negro, mas minha alma é de barro” é uma das mais marcantes frases de um dos maiores ícones do artesanato pernambucano,conhecida como Ana das Carrancas

A proposta desta obra parte da frase “meu sangue é negro, mas minha alma é de barro”,dita por Ana das Carrancas, mestra artesã do barro, ribeirinha de Petrolina, uma das homenageadas deste painel, que traz como mote a relação da terra como matéria prima e subsistência, do artesanato como Arte, reconhecimento e proteção para mulheres negras nordestinas. E para completar a ideia trazemos outra mestra pernambucana, Maria Amélia de Tracunhaém, da Zona da Mata do estado.

Maria Amélia (1923-2022), brincava com o barro desde os 8 anos de idade, pois seu pai também era mestre louceiro. Este brincar ativou sua criatividade para desenvolver de forma única as representações de santos e santas, de rostos ovalados, mantos pregueados e delicadamente ornamentados, focando nas simbologias da liturgia católica popular nordestina, durante seus próximos 90 anos.

Já Ana louceira, “dama do barro”, Ana das Carrancas, muitos os títulos atribuídos à Ana Leopoldina dos Santos (1923-2008), também tinha herança familiar do barro. Mas sai do sertão de Ouricuri, fugindo da seca e viúva com duas filhas para tentar a vida, avista nas embarcações do Rio São Francisco, as Carrancas, as esculturas de madeira que representam criaturas míticas “assustadoras” que são colocadas nas proas dos barcos para espantar os maus espíritos do rio.

Advertisement

Quando começou a expor seus trabalhos na feira, as carrancas foram motivo de piada por seu aspecto rústico e uso do barro. Ela só seria reconhecida como artista nos anos 70, onde assim como Maria Amélia, tiveram seus trabalhos reconhecidos em várias galerias, salões e museus do Brasil e do mundo, contribuindo para a preservação da memória e transmissão de saberes e fazeres tradicionais por várias gerações, tanto que em 2006 e 2011, respectivamente, as duas recebem o título de Patrimônio Vivo de Pernambuco.

Quando falamos da História das Mulheres Negras nas Artes Visuais no Brasil não encontramos nenhum registro das precursoras. Sabemos que os homens negros estavam desde o movimento barroco esculpindo, e as mulheres brancas abastadas conseguem acessar a partir de 1892 a Escola Nacional de Belas Artes do Rio de Janeiro, mas em que época as mulheres negras são consideradas artistas e são reconhecidas por suas produções?

“São por esses questionamentos e por ser uma mulher negra artista, pois não estudei sobre essas mulheres na escola, mesmo sendo pernambucana, necessário que a população reconheça e valorize artistas populares e mulheres negras artistas,que encontraram no barro natural, material de fácil acesso, aberturas de portas para a liberdade e resgate da suas humanidades, além de introduzir o reposicionamento de concepções imagéticas e posturas políticas, que colaboraram tanto para a população brasileira majoritariamente não-branca como o Estado repensar a importância do protagonismo feminino negro e popular na construção de uma sociedade mais democrática”, afirma Nathê Ferreira.

Dessa forma, a composição do mural os rostos das duas artistas e seus principais trabalhos, a Nossa Senhora da Conceição de Maria Amélia e a Carranca originária de Ana, duas obras que juntas representam proteção que vem do feio/assustador e do belo/sublime. Para composição do fundo, a artista trouxe referência às raízes das plantas que crescem no ecossistema do mangue, onde muitos artesões tiram o barro, e as cores arroxeadas, que fazem alusão à Orixá feminina Nanã Buruku, a mais velha, aquela que detém o poder da lama e impulsionou a existência para que o homem fosse esculpido, e assim sendo a protetora das vovós e das mais velhas, que se conecta bem com a vida das artesãs. “Porque tudo que nós queremos é força, fé e proteção, à nossa saúde e bem-viver. É com esse desejo que trago essa mensagem para o prédio da Cohab de Sapopemba, Zona Leste de SP”, conclui a pernambucana Nathê.

Aos 29 anos, a pernambucana Natália Carvalho Ferreira, ou apenas Nathê, é grafiteira, educadora social e ativista. Formada em Licenciatura em Artes Visuais pela UFPE (Universidade Federal de Pernambuco), iniciou sua carreira no grafite por influência de mulheres da área.

Advertisement

Sobre Nathália Ferreira, ou “Nathê”:

Aos 29 anos, é criada na Cohab 1 de Jaboatão dos Guararapes e reside hoje na colônia de pescadores Z2 de Paulista, Pernambuco. Grafiteira, educadora social, e formada em Licenciatura de Artes Visuais na UFPE com pós em Arte-Educação. Reflete sobre as representações da imagem da mulher negra em seus trabalhos na Rua, na Academia e nas Redes. É a mulher com um dos maiores painéis pintados nas ruas da cidade do Recife atualmente, já viajou pelo Brasil e recentemente para o Peru, em diversos festivais de Arte Urbana. Integra os coletivos Afronte, Kardume, Trovoa e Ilê Asé Aganjú Aséobá. Nathê, vive entre as periferias de Jaboatão e Paulista, cidades de Pernambuco. Grafiteira, ativista e educadora formada em Licenciatura de Artes Visuais (UFPE). Reflete sobre as representações da imagem da mulher negra em seus trabalhos, levando a palavra da Arte de Rua.

Continue Reading
Advertisement

Famosos

Yuri Turbo recebe Troféu SP+Digital por impulsionar o turismo e o automobilismo na cidade

Published

on

By

Influencer é um dos premiados em evento promovido pela SPTuris e a Prefeitura de São Paulo

O Theatro Municipal de São Paulo sediou a edição 2024 do prêmio “SP + Digital”, iniciativa idealizada pela Prefeitura de São Paulo e pela São Paulo Turismo (SPTuris), com o objetivo de valorizar os principais comunicadores, influenciadores e personalidades que retratam a cidade de forma positiva ou tratam de temas, eventos ou setores que a beneficiam.

O evento foi conduzido por Gustavo Pires, presidente da SPTuris, contando com a presença do prefeito da cidade de São Paulo, Ricardo Nunes, durante a solenidade. Em seus discursos, ambos ressaltaram a importância desta iniciativa, que homenageia aqueles que divulgam a cidade de forma positiva, mostrando sua beleza, cultura, inovação, diversidade e potencial como polo de desenvolvimento e empreendedorismo. Para chegar ao grupo selecionado, foram considerados o histórico das publicações e a temática principal abordada por cada um dos 85 influenciadores.

O repórter, influencer juvenil e criador de conteúdo especializado em automobilismo e mundo a motor Yuri Turbo foi um dos destaques da noite, recebendo o troféu das mãos de Gustavo Pires, como reconhecimento por seu trabalho nas redes sociais fomentando o turismo e o automobilismo na cidade.

Dentre convidados e premiados, estavam presentes a empresária e investidora Carol Paiffer (Shark e CEO da Atom), Minotauro (embaixador UFC), Viny Vieira (ex Pânico), Isabela Volpi, a empresária serial Cris Arcangeli, o chef Alex Atala, a comunicadora Mia Mamede e o jornalista Paulo Antunes.

Yuri Turbo possui presença ativa e engajada nas principais redes sociais, tendo iniciado seu canal no YouTube aos nove anos, por conta própria. Desde então, o jovem influencer e repórter vem se destacando cada vez mais no cenário automotivo. Sua marca registrada são as entrevistas bilíngues com astros do automobilismo mundial, além da alta qualidade da cobertura dos principais eventos nacionais e internacionais que acompanha.

Com análises e insights relevantes sobre o universo das corridas, Yuri consegue conectar as estrelas aos fãs apaixonados por automobilismo em todo o mundo. Sua dedicação e paixão pelo setor o levaram a ser reconhecido como personalidade no setor, sendo convidado para realizar palestras e cobrir grandes eventos, consolidando sua trajetória de sucesso no cenário digital.

Advertisement

Yuri chegou ao “SP + Digital” no carro eletrico Ora GT da GWM e, durante o evento, explicou que São Paulo é a única cidade do mundo a sediar os três grandes eventos da Federação Internacional de Automobilismo (FIA): Fórmula 1, Fórmula E e Campeonato Mundial de Endurance (WEC). “Essa posição é um privilégio e consolida a cidade como um dos principais polos do esporte a motor mundial, impactando positivamente a economia, a cultura e o turismo”, completa.

Ao ser questionado sobre o que sentiu ao ser um dos premiados da noite, disse: “Para mim, é uma honra e alegria, porque este prêmio representa muito mais do que um reconhecimento pessoal…é um reflexo da força e do impacto que as redes sociais e os influenciadores digitais podem exercer na promoção do turismo, da economia e, no meu caso específico, do automobilismo. É a materialização de tudo pelo que me dedico, e isso aumenta ainda mais a minha motivação, para seguir me dedicando à minha paixão e a explorar novos caminhos para conectar as pessoas a esse universo incrível!”, finaliza.

Para conhecer e acompanhar o trabalho de Yuri Turbo, inscreva-se em seu canal do YouTube https://www.youtube.com/c/YURITURBOBR e siga-o em suas redes sociais:

Instagram https://www.instagram.com/yuriturbobr/
TikTok
https://www.tiktok.com/@yuriturbobr
Facebook
https://www.facebook.com/yuriturbobr/

Advertisement
Continue Reading

Famosos

Nova fase na carreira Nick Fontana anuncia mudança de nome artístico para “Atilla”

Published

on

By

O cantor, ator e influenciador Nick Fontana, em ascensão no cenário artístico brasileiro, anunciou na última terça-feira que adotará um novo nome artístico: Atilla. A mudança marca o início de uma nova etapa em sua carreira, na qual o artista planeja lançar novas músicas e projetos inovadores para seus fãs.

Fontana, que tem conquistado grande visibilidade com mais de 600 mil visualizações diárias em seus stories no Instagram, compartilhou a novidade diretamente com seu público na rede social. “Às vezes, uma mudança é necessária para conseguirmos alcançar novos objetivos, uma nova fase, uma nova era. Conto com o apoio de vocês nesta nova fase e peço que recebam bem e desejem as boas-vindas ao Atilla”, escreveu o artista em sua postagem.

A decisão de mudar de nome faz parte de uma estratégia de rebranding, comum no meio artístico, que visa refletir o amadurecimento e a evolução do artista. A adoção de um novo nome artístico pode significar não apenas uma transformação na imagem pública, mas também um renascimento criativo, abrindo caminho para novas oportunidades e horizontes na carreira.

Nick Fontana, agora Atilla, segue engajado em surpreender e encantar seus seguidores com novas propostas e iniciativas. A mudança de nome é um passo significativo em sua trajetória, demonstrando sua disposição em se reinventar e se adaptar às demandas e expectativas do mercado e de seu público fiel.

Advertisement
Continue Reading

Famosos

Odoguiinha, Vinicius Henuns e Luiz Kingsman falam em usar ‘3 Doses’ contra o preconceito!

Published

on

By

O trio de artistas que já possuem uma carreira consolidada no mercado fonográfico, tem dado o que falar. Nesta semana, o cantor e ex-ator mirim da novela Chiquititas, Odoguiinha esteve entre os mais ouvidos e executados no Spotify, o artista que também possui a ocupação de colunista, esteve ao lado de Valéria Almeida e Vinicius Henuns na faixa ‘Intro (Speed UP)’, gerou especulações sobre o novo single ao lado da cantora e drag queen Luiz Kingsman.

O single que retrata temas relacionados à liberdade e aceitação, envolve misturas de ritmos que aumentam à vibe positiva entre as pessoas.

A drag Luiz Kingsman, que possui três álbuns de estúdio lançados ao longo da carreira, ficou conhecida como cover da Anitta ao se apresentar em festivais nacionais; já Vinicius Henuns, atual parceiro de Bernardo Langlott, ex da jornalista Glória Maria, ficou conhecido por trabalhar ao lado de Larissa Manoela em “Meus 15 Anos: O Filme”, onde interpretou o personagem ‘Gael’; Odoguiinha, por sua vez, ficou conhecido após participações em novelas como “Chiquititas” e “Amor Sem Igual”, além de possuir em suas redes sociais mais de 2 milhões de seguidores.

A canção, que chega às plataformas digitais nas próximas semanas, celebra as vitórias históricas e reforçam a luta para garantir os direitos da comunidade.

Advertisement

A parceria entre os artistas Odoguiinha e Vinicius Henuns não é de hoje, ambos que já colaboravam em ‘Muero Por Tenerte’, canção que teve em sua primeira semana 100 mil de visualizações nas plataformas de streaming, se manteve em euforia aos fãs de músicas latinas, foi o estopim para o encontro dos artistas Odoguiinha, Vinicius Henuns e Luiz Kingsman.

Continue Reading

Mais Lidas

Copyright © TimeOFFame - Todos os direitos reservados