Connect with us

Geral

Published

on

Term Paper Writer – How Do I Be A Professional Termite?

It is essential to have a range of academic writing tools in order to become a termpaper writer. A strong command of the English language, as well as a basic understanding of spelling and grammar is crucial. These are often difficult projects therefore, term papers are generally written for college students. The task demands the paper to be completely researched and written, and then presented in a an original and concise way. Here are some tips to help you become a term paper writer.

A term paper writer must research the topic thoroughly and perform all structural writing, prewriting editing, proofreading, and proofreading steps according to the academic writing guidelines. They should also be able to write top-quality work for any client, regardless of difficulty, complexity or topic. Don’t rely on computers. The majority of writers are now using word processors, as well as electronic readers to complete their work. It is also a good idea to submit term papers on a regular basis to get feedback.

Advertisement

Many writers earn their money writing term papers for companies and institutions. There is lots of competition, therefore it is essential to locate cheap term paper writer services on the internet. Writers for hire are able to offer quality services at reasonable costs.

When writing term papers, most people don’t pay attention to the format. A thorough research of the subject and a thorough knowledge of the format of writing is essential to create an impressive paper. Additionally, you must be aware of the various terms that are often used in essays so that the essay comes out as a https://www.affordable-papers.net/ concise and clear document.

If you have prepared your essay properly but still fail to get a good grade simply because you don’t submit your essay for the third or fourth time, it is a sign that you did not find the subject appropriate. If you rely on word processors and rely on memory when editing your essay, then it will be very difficult to edit your essay after the completion of editing. It is highly recommended that you set up a dedicated electronic document for your assignment. Also, do not overlook the importance of revising your work. You will be able spot any grammar or spelling mistakes as well as obvious mistakes in your essay by revising it.

Advertisement

Before submitting term papers, the writer must edit the papers prior to submitting them. Many writers are aware of the fact that revisions play a vital part in the success of term papers. As such, they tend to work extra to ensure that all corrections are made before sending the assignment for review. However, this does not mean that they always wait for the deadline and make revisions at the last minute.

You should also ensure that your paper is written with extensive experience. This does not mean you have to follow the same style of an academic essay. Rather, you should have extensive experience in the specific area. If you are a teacher, you could write about a particular subject for your academic writing assignment. This will help you create a unique style of writing which will be different from other teachers.

Advertisement

Termite writers are renowned for offering competitive rates for their work. However, this doesn’t mean that you can copy their work and give it on to your supervisors to use as your own. On the contrary, most termite writers will have a specialization of writing term papers, and you need to understand this before copying their work. If you are able, begin by reading novels or short stories written by these specialized writers to understand their style of writing.

Continue Reading
Advertisement

Geral

Sheila Mello esbanja carisma em Premiação realizada na Convenção 2022 da Emagrecentro em Louveira / SP

Published

on

No último final de semana, sendo dias 19, 20 e 21 de maio, foi realizada a Convenção de edição 2022 da Clinica Emagrecentro, que foi realizado no Hotel Estância Santa Mônica, na cidade de Louveira, no interior da cidade de São Paulo.

O evento que foi extremamente glamuroso e preparado com muito carinho para os melhores franqueados de todas as unidades da Clinica Emagrecentro de todas as regiões do Brasil, contou com a organização de Sanauá Peixoto e Diego Peixoto, além da empresa Meraki e das ilustres presenças VIPs de Sheila Mello e Pedro Superti, fundador do Movimento de Diferenciação e autor do best-seller ‘Ouse Ser Diferente’.

Nem mesmo o frio que fazia na ocasião, desanimou a participação da eterna loira do Grupo É o Tchan, a qual é uma das garotas propaganda da rede, em poder comparecer ao evento para entregar os troféus aos destaques do ano e brindar este momento muito importante ao lado do Dr. Edson Ramuth, o CEO da clínica.

Dr Edson Ramuth e Sheila Mello – Foto: Kauan Forte / Renato Cipriano – Divulgação

A Emagrecentro é uma empresa pioneira no mercado Brasileiro que investe em pesquisa, inovação e tecnologia, guiando-se sempre pelos pilares da ciência e da ética, para oferecer excelência em seus serviços, produtos e tratamentos de: estética, saúde e bem-estar.

Ao longo de 36 anos de existência, a rede já atendeu mais de 3 Milhões de clientes em mais de 294 unidades, distribuídas em 23 estados brasileiros.

Advertisement

Atualmente a Emagrecentro é considerada a maior Rede de Clínicas de Emagrecimento e Estética das Américas.

Crédito das Fotos: Kauan Forte / Renato Cipriano – Divulgação

Sheila Mello em Premiação da Emagrecentro - Foto: Kauan Forte / Renato Cipriano - Divulgação

Sheila Mello em Premiação da Emagrecentro – Foto: Kauan Forte / Renato Cipriano – Divulgação

Premiação Excelência 2022 da Emagrecentro - Foto: Kauan Forte / Renato Cipriano - Divulgação

Premiação Excelência 2022 da Emagrecentro – Foto: Kauan Forte / Renato Cipriano – Divulgação

Premiação Excelência 2022 da Emagrecentro - Foto: Ricardo Freire C. de Oliveira / Renato Cipriano - Divulgação

Premiação Excelência 2022 da Emagrecentro – Foto: Ricardo Freire C. de Oliveira / Renato Cipriano – Divulgação

Sheila Mello - Foto: Kauan Forte / Renato Cipriano - Divulgação

Sheila Mello – Foto: Kauan Forte / Renato Cipriano – Divulgação

Sheila Mello - Foto: Kauan Forte / Renato Cipriano - Divulgação

Sheila Mello – Foto: Kauan Forte / Renato Cipriano – Divulgação

Continue Reading

Geral

Em entrevista, professor do Centro de Estudos e Pesquisas no Ensino do Direito da Uerj comenta os efeitos da nova Lei de Improbidade

Published

on

Mestre em Direito Público, Rodrigo Zambão é professor do Centro de Estudos e Pesquisas no Ensino do Direito da Uerj (Ceped/Uerj). Em entrevista, ele comenta a Lei 14.230/21, sancionada pelo presidente Jair Bolsonaro no fim de outubro, que alterou a tipificação do crime de Improbidade Administrativa. O jurista vê pontos positivos e negativos nas mudanças, ressaltando que é natural haver ajustes na legislação. “Há espaço para potencializar o que a Lei da Improbidade traz de positivo e questionar aspectos que podem dificultar a punição de agentes desonestos”, argumenta o jurista.

 

1)Fala-se muito em um “apagão da administração pública” por causa de supostos excessos da atual Lei de Improbidade e do Ministério Público, o que justificaria as mudanças feitas no Congresso. O caminho era realmente mudar a lei?  

 

Advertisement

O “apagão da Administração Pública” – ou “apagão de canetas” – representa um fenômeno de paralisação na atuação de agentes públicos em razão do medo de responsabilização excessiva. Trata-se de fenômeno presente na realidade de muitas estruturas administrativas, em todos os níveis da federação. Mas é necessário reconhecer que o citado “apagão” não é decorrência de causa única. Não pode ser atribuído exclusivamente ao Ministério Público e a excessos eventualmente verificados no manejo de ações de improbidade. O Ministério Público é uma instituição essencial ao Estado Democrático de Direito e deve permanecer dotado de independência e estrutura para bem desempenhar suas funções constitucionais. Na verdade, a inércia administrativa tem mais ligação com a existência de uma pluralidade de instâncias de controle, que não raro atuam de forma não dialógica e sobreposta. E isso, também não raro, compromete a boa gestão pública e atinge muitos agentes públicos bem intencionados, que não são imunes ao cometimento de erros. O problema maior de um controle desproporcional é que ele gera estagnação e dificulta a inovação na Administração Pública. O medo da responsabilização excessiva realmente produz paralisia.

Dito isso, enxergo a alteração legislativa como uma tentativa de se calibrar o controle em razão da imputação de atos de improbidade. A novidade legislativa pode contribuir para melhorar o estado de coisas, mas certamente não resolverá o problema do “apagão” como um todo.

 

2) Como o senhor vê as mudanças feitas? Quais são os principais aspectos positivos e negativos?

 

Advertisement

A alteração na lei de improbidade há muito vinha sendo objeto de estudos em setores especializados. É natural que leis sejam objeto de modificações e ajustes ao longo do tempo. O grande problema é que a atual modificação despertou paixões, uma espécie de “fla x flu” no direito público brasileiro. Eu prefiro reconhecer que há argumentos legítimos e bem intencionados de parte a parte. E a nova lei, como tudo na vida, tem pontos positivos e negativos. Como ponto positivo, eu enxergo a reafirmação da ideia de que a improbidade administrativa não pode ser associada a toda e qualquer infração praticada por agente público. Nem toda atuação desviada de agentes públicos deve ser caracterizada como improbidade. Há diferentes níveis de responsabilização de agentes públicos, e a improbidade, com sanções extremamente gravosas, está em nível elevadíssimo, abaixo apenas da responsabilidade criminal. Em termos mais diretos: a lei traz uma tentativa de evitar a banalização da improbidade administrativa.

No aspecto negativo, enxergo com preocupação a complexa discussão sobre a possibilidade de aplicação do novo prazo prescricional a ações em curso, circunstância que poderá deixar atos realmente ímprobos sem a devida punição. A matéria será decidida pelo Supremo Tribunal Federal em sede de Repercussão Geral, sob a relatoria do Ministro Alexandre de Moraes.

 

3) No texto final, foi acrescentado um dispositivo para exigir dolo em casos de nepotismo. A tendência, na sua opinião, é os casos de nomeação de parentes aumentarem?

 

Advertisement

Realmente um dos temas polêmicos da alteração legislativa, sobretudo pelo fato de que o nepotismo é algo objetivo, ou seja, basicamente a nomeação de parentes para exercícios de funções comissionadas ou de confiança, em contrariedade aos princípios constitucionais da moralidade, impessoalidade e eficiência. Por isso a perplexidade de muitos no que diz respeito à exigência do dolo.

Só que é necessário fazer uma ressalva. A alteração legislativa não torna o nepotismo algo legítimo. Na verdade, o que a lei consagra é que nem todo nepotismo será caracterizado como improbidade, sem que isso automaticamente represente impossibilidade de responsabilização em outras esferas.

Tenho a esperança de que a alteração legislativa não representará um retrocesso, já que o combate ao nepotismo é uma conquista recente na história constitucional brasileira. Ao fim e ao cabo, o abandono do nepotismo deveria ser algo cultural e não jurídico.

 

4) Como é possível provar dolo em casos de improbidade?

Advertisement

 

O dolo sempre foi a regra para caracterização de atos de improbidade, a exceção daqueles causadores de dano ao erário, relativamente aos quais se admitia a responsabilização por culpa grave. O que lei passa a exigir é o chamado dolo específico, ou seja, a vontade livre e consciente de alcançar o resultado ilícito tipificado.

A exigência do dolo específico vai tornar mais onerosa a construção do lastro probatório necessário – uma justa causa – para o ajuizamento de ações de improbidade. E a obtenção de provas em matéria de improbidade é realmente algo relevante, considerada a intensidade das punições.

Mas a forma de se provar o dolo não vai mudar tanto assim. O dolo continuará a ser validamente extraído de uma pluralidade de situações, notadamente das circunstâncias em que praticado o ato e das condutas especificamente reveladas pelo agente público.

 

Advertisement

5) Quais as implicações de apenas o MP ter o condão de apresentar casos de improbidade?

 

Sou especialmente crítico da previsão de legitimidade exclusiva para o Ministério Público. É um tanto quanto questionável que se prive o ente lesado, por intermédio do seu órgão de advocacia pública, do ajuizamento de ações de improbidade, especialmente quando em jogo dano ao erário. A modificação legislativa também cria danos sistêmicos no tratamento do combate à corrupção. Enfraquece a atuação dos órgãos de advocacia pública na negociação e celebração de acordos de leniência, por exemplo.

É relevante registrar que em sede de Ação Direta de Inconstitucionalidade, também sob a relatoria do Ministro Alexandre, foi concedida medida cautelar para suspender os efeitos da legitimação exclusiva, dentre outros argumentos, pelo fato de que representaria um retrocesso no combate à corrupção.

Ainda assim, caso ao final seja mantida a previsão da legitimidade exclusiva, a consequência mais imediata é que ela forçará um maior diálogo entre órgãos administrativos de controle e o Ministério Público, que deverá ser constantemente municiado de elementos para instauração de inquéritos e ajuizamento de ações de improbidade.

Advertisement

 

6) Como essa questão é tratada internacionalmente? Há algum modelo em que poderíamos nos espelhar?

 

Difícil endereçar o tema internacionalmente, já que cada país tem estruturas de controle compatíveis com as suas respectivas realidades. O que eu arriscaria dizer é que dificilmente encontraremos países com tantos (e tão poderosos) órgãos de controle como no Brasil. E mais: também não há exemplos de tamanha interferência externa no campo da gestão pública, no controle de políticas públicas, como no país. Trata-se de ponto que deve ser continuamente objeto de reflexão e de ajustes legislativos.

 

Advertisement

7) O senhor tem alguma proposta de mecanismos para proteger a coisa pública mas que, ao mesmo tempo, não afastem as pessoas da política?

 

Também é um tema muito complexo. Não há providência milagrosa. Ainda assim, penso que o grande desafio reside justamente na criação de incentivos adequados para atração de pessoas de bem e tecnicamente qualificadas para cargos públicos, especialmente os de natureza política.

Só que um automatismo sancionador e um punitivismo exacerbado acabam criando incentivos invertidos. O medo de responsabilização desproporcional afasta bons quadros de instâncias administrativas e políticas. Não podemos transformar cargos públicos em armadilhas. Meu desejo é que a alteração da lei de improbidade contribua para a mudança do estado atual de coisas. Se os resultados serão alcançados, só o tempo dirá.

 

Advertisement

8) Temos um sistema burocrático ou leniente, na sua opinião?

 

O sistema é muito dos dois, mas eu arriscaria dizer que é mais burocrático do que leniente. Temos um Estado agigantado, caro, lento e muitas vezes insensível a resultados dele esperados. E a solução para a ineficiência da máquina pública também passa pelo que afirmei acima: a necessidade de criação de incentivos para incorporação de indivíduos bem intencionados e devidamente qualificados para o desempenho de funções públicas de todos os tipos.

No campo da leniência, registro que não enxergo na alteração legislativa a criação de uma “lei da impunidade”. Há espaço para potencializar o que ela traz de positivo, e, pelos caminhos institucionais adequados, questionar aspectos que podem dificultar a devida punição de agentes públicos desonestos.                                                                    

Advertisement
Continue Reading

Geral

Breno Rodrigues celebra convite para comandar o “Cuide Mais de Você”

Published

on

Breno Rodrigues, prestigiado cirurgião-dentista de Pernambuco, que já recebeu em seu consultório celebridades como o ex-jogador Rivaldo e o ex-participante dos realities “The Circle” (Netflix) e “A Fazenda 12” (RecordTV) JP Gadêlha, está na contagem regressiva para a estreia do “Cuide Mais de Você” nas manhãs de sábado da TV Nova, emissora associada à TV Cultura, a partir de junho. 
 
Na companhia da jornalista Danielly Cavalcanti, ele apresentará o programa, que é voltado para a qualidade de vida e mostra como é possível integrar os bons hábitos no dia a dia, sem impor fórmulas radicais ou metas inatingíveis. “Abordaremos temas relacionados às saúdes física e psíquica, ao bem-estar e ao conhecimento que ajude a trazer maior produtividade aos espectadores”, destacou o profissional.

Continue Reading

Mais Lidas

Copyright © TimeOFFame - Todos os direitos reservados